As eleições de outubro próximo trarão muitas surpresas para o povo brasileiro. Sobretudo, as eleições parlamentares, de deputados e senadores. No levantamento do DIAP sobre a Câmara dos Deputados, dos 513 membros da Casa, apenas 31 desistiram de tentar a reeleição. Isto representa 6,04% do universo da Câmara.

Leia também:
Por que a renovação do Congresso tende a ser baixa?

Câmara: 407 recandidataram-se; 106 têm outras opções

Nas eleições de 2014, dos 513 deputados federais, 387, ou 75,44% da composição da Câmara, concorreram à reeleição, e os demais 126 ou não disputaram nenhum cargo, caso de 49 deles (9,55%), ou concorreram a outros cargos, caso dos 77 restantes (15%).

Diante desse cenário, cogita-se que a Câmara terá baixo índice de renovação. Isto, basicamente por que:

1) reduziu-se o tempo de campanha de 90 para 45 dias;

2) reduziu-se o período de horário eleitoral gratuito de 45 para 35 dias; e

3) criou-se o fundo eleitoral para financiar as campanhas em substituição à doação empresarial.

As mudanças na legislação eleitoral com a criação do fundo eleitoral e a janela partidária (período no qual foi permitida a troca de partido sem perda de mandato) permitiram aos deputados e senadores negociarem melhores condições na disputa da reeleição, como prioridade no horário eleitoral e na destinação dos recursos do fundo eleitoral.

Outras opções
Nas eleições para a Câmara dos Deputados, 75 representantes optaram por outros caminhos políticos-eleitorais, como mostra o levantamento do DIAP.

Destes, 40 concorrem ao Senado; 11 são candidatos a vice-governador; 9 disputam o governo do estado; 7 tentam vaga de deputado estadual; 6 são suplentes de candidatos ao Senado; e 2 são candidatos à Presidência da República.

Nós apoiamos

Nossos parceiros