Segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), relatório apresentado no Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas nesta terça-feira (8) pelo relator especial contra a tortura, Juan Méndez, defendeu a redução da população carcerária brasileira e classificou as audiências de custódia como "uma das mais importantes iniciativas em políticas públicas para combater problemas em prisões arbitrárias e tortura".

O relatório é resultado de visita oficial de 12 dias realizada ao país em agosto de 2015 a convite do governo brasileiro e será entregue ao Poder Executivo para a tomada de iniciativas no intuito de amenizar e até mesmo resolver os graves e sérios problemas do sistema carcerário nacional.

Nós apoiamos

Nossos parceiros