O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM/RJ), afirmou que a decisão do governo de encaminhar medida provisória que prorroga o auxílio emergencial por mais quatro meses no valor de R$ 300 foi importante e foi tomada com base no que a equipe econômica considera possível. 

Maia disse que é preciso ter cuidado para atender aos mais vulneráveis e ao mesmo tempo não dar uma sinalização negativa de descontrole do gasto público. Segundo ele, o debate sobre os valores serão feitos com cuidado e com responsabilidade.

“O importante era o governo ter tomado a decisão de encaminhar aquilo que o governo e a equipe considera possível. Vamos avaliar. Temos que ter muito cuidado, o auxílio é muito importante, mas os valores já vinham gerando um forte impacto nas contas públicas. No momento adequado, vamos colocar em votação”, disse.

Renda mínima
Maia defendeu que o novo programa social que cria uma renda mínima permanente para os mais vulneráveis garanta maior mobilidade social aos atendidos e que não seja apenas um programa de transferência de renda. 

Ele reconheceu que o Bolsa Família tirou milhões de brasileiros da pobreza, mas defendeu uma proposta que garanta que os brasileiros não vão passar fome, mas que valorize os esforços das famílias para cumprir metas nas áreas de saúde e educação.

“É importante que se possa fazer um programa que caminhe junto aos esforços das famílias, com benefícios extraordinários para as famílias que cumprirem metas na educação e saúde, por exemplo. Precisamos dar condições não apenas da transferência de renda, mas criar um programa que possa garantir mais mobilidade social”, defendeu Maia.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Nós apoiamos

Nossos parceiros