A Câmara dos Deputados pode votar a MP 946/2020 que permite ao trabalhador sacar um salário mínimo da conta do FGTS. A Medida perde a validade na terça-feira (4) e caso não seja apreciada. 

Os senadores alteraram o texto para permitir, na pandemia, a movimentação dos recursos da conta vinculada ao FGTS em sua totalidade. Nas situações do saque-aniversário pelo trabalhador que tenha pedido demissão, que tenha sido demitido sem justa causa ou por força maior. O relator e líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), alertou que o planalto não tem compromisso com a mudança, o que pode ser vetado pelo presidente, caso a Câmara confirme tais alterações. 

O plenário pode votar também o Recurso nº 108/11, da ex-deputado Fátima Bezerra (PT-RN), que recorre contra o parecer terminativo da Comissão de Finanças e Tributação ao Substitutivo do Senado Federal ao Projeto de Lei nº 3.776/2008, de autoria do Poder Executivo. A proposta trata do piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica. 

Com a PEC do Fundeb, já aprovada na Câmara e que pode ser aprovada no Senado e promulgada pelo Congresso Nacional, o presente projeto de que trata o Recurso, contribui para a regulamentação e o mecanismo de reajuste dos professores.

Outro ponto da pauta da Câmara é a possibilidade de votação do requerimento de urgência para apreciação do PL 3.364/2020, que institui o Regime Especial de Emergência para o Transporte Coletivo Urbano e Metropolitano de Passageiros - Remetup, baseado na redução de tributos incidentes sobre esses serviços e sobre os insumos neles empregados. 

O projeto busca proteger o setor das graves consequências econômicas oriundas das paralisações parciais ou totais de serviços de transportes públicos durante a pandemia de Covid-19 e reduzir os prejuízos aos usuários. 

Confira as outras proposições em pauta na Câmara dos Deputados:

MP 950/20 - dispõe sobre medidas temporárias emergenciais destinadas ao setor elétrico para enfrentamento do estado de calamidade pública reconhecido pelo Decreto Legislativo nº 6, de 20 de março de 2020, e da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente da pandemia de coronavírus (covid-19);

MP 952/20 - que dispõe sobre a prorrogação do prazo para pagamento de tributos incidentes sobre a prestação de serviços de telecomunicações;

MP 983/20 - dispõe sobre as assinaturas eletrônicas em comunicações com entes públicos e em questões de saúde e sobre as licenças de softwares desenvolvidos por entes públicos;

PL 2306/20 - estabelece incentivo fiscal em favor das empresas que firmarem parceria com universidades e institutos de ensino superior ou de pesquisa, para o desenvolvimento de projetos relativos ao COVID-19;

PL 1485/20 - altera o Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940, para duplicar as penas de crimes contra a administração pública quando estes forem praticados por ocasião de calamidade pública;

PL 1622/20 - que altera a Lei 13.979 de 2020, para dispor sobre a obrigatoriedade da notificação compulsória e imediata dos diagnósticos de casos de síndrome respiratória aguda assim como dos casos suspeitos e confirmados da COVID-19;

Reforma Tributária

Com o retorno da Comissão Mista da Reforma Tributária, o presidente do colegiado, senador Roberto Rocha (PSDB-MA), reiniciou os trabalhos comunicando que o ministro da Economia, Paulo Guedes, será ouvido nesta quarta-feira (5), às 10h. As reuniões serão pelo sistema remoto, por videoconferência com deputados e senadores.

Os senadores e deputados vão debater as PECs 110/2019 (do Senado) e 45/2019 (da Câmara), além da proposta do Governo Federal PL 3887/20, cuja primeira parte  foi entregue há 10 dias ao Congresso Nacional.

Fundeb

Os senadores devem votar a proposta de Emenda à Constituição 26/2020, que torna permanente o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). 

O relator da matéria, senador Flávio Arns (REDE-PR), apresentou parecer sem alterações no texto já aprovado pela Câmara. 

Lei também:

Reforma tributária: entre aumentar tributo ou rever teto de gasto

FUNDEB permanente é aprovado na Câmara; proposta segue para o Senado

Nós apoiamos

Nossos parceiros