Indicador Ipea de Investimentos sofre forte queda de 11,3% em maio

Share

Divulgado nesta quinta-feira (5) o Indicador Ipea de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) aponta retração de 11,3% em maio de 2018, na comparação com abril. A greve dos caminhoneiros explica, em grande parte, esse desempenho dos investimentos, que no trimestre finalizado em maio recuaram 1,2% frente ao trimestre anterior. A queda ocorreu também na comparação com maio de 2017 (4,5%), embora no acumulado em 12 meses tenha havido alta de 1,3%. No portal do Ipea

investimentos

O consumo aparente de máquinas e equipamentos (Came) – cuja estimativa corresponde à sua produção interna líquida das exportações e acrescida das importações – recuou 14,6% em maio. Entre os componentes do Came, enquanto a produção interna de bens de capital líquida de exportações caiu 12,8%, a importação de bens de capital registrou queda de 9,8%.

O indicador de construção civil também foi afetado pela greve dos caminhoneiros, recuando 11,5% ante abril, e encerrou o trimestre até maio com retração de 3,6%. O terceiro componente da FBCF, denominado “outros ativos fixos”, acompanhou o desempenho negativo: queda de 4,7% em maio. Acesse o indicador no blog da Carta de Conjuntura

Ipea
Fundação pública vinculada ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) fornece suporte técnico e institucional às ações governamentais – possibilitando a formulação de inúmeras políticas públicas e programas de desenvolvimento brasileiro – e disponibiliza, para a sociedade, pesquisas e estudos realizados por seus técnicos.

Nós apoiamos

Nossos parceiros