A taxa Selic

Share

João Guilherme Vargas Neto*

Uma das constantes do movimento sindical unido é a luta pela baixa dos juros Selic.

Criado em 1980, o Sistema Especial de Liquidação e Custódia, sob responsabilidade do Banco Central (Copom) e da Associação Nacional das Instituições dos Mercados Abertos (Andima), é um grande sistema computadorizado ao qual têm acesso apenas as instituições credenciadas do mercado financeiro e através dele os negócios com títulos públicos têm liquidação imediata; daí a taxa Selic.

A elevação da taxa de juros Selic é utilizada pelo BC para combater a inflação, mas tem funcionado como um tiro de canhão para matar tico-tico.

Isso porque, em uma situação de paralisia econômica, de desemprego, de flutuação cambial abrupta, de desequilíbrio fiscal e de sobrevivência de vários preços administrados e indexados, a elevação da taxa Selic perde seu papel antagonista da inflação, mas agrava a recessão.

Embora seja uma heresia do ponto de vista dos rentistas, esta posição tem sido defendida publicamente até por economistas ortodoxos e “analistas do mercado” que defendem os interesses da bancolândia, mas estão atentos ao travamento geral dos negócios e aos interesses mais amplos dos capitalistas.

A elevação da taxa Selic produz o aumento das despesas do Estado. Cálculos variados dizem que um ponto percentual a mais na taxa acrescenta 13 bilhões de reais (Márcio Pochmann), 14 bilhões (Clemens Nunes) ou até 15 bilhões (José Serra) na dívida interna.

Por estas e outras é que o movimento sindical tem persistido em combater a alta.

E, como testemunho de justiça, devo destacar o papel da Força Sindical nesta luta, desde as sardinhadas malcheirosas de Brasília até os atos multicoloridos na sede paulista do Banco Central quando o Copom se reúne.

A luta pela queda da taxa Selic soma-se hoje com a luta contra o desemprego e a recessão e pela retomada do desenvolvimento.

(*) Consultor de diversas entidades sindicais e membro do corpo técnico do Diap (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar) E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Nós apoiamos

Nossos parceiros