Prognóstico do DIAP por estado para Câmara dos Deputados

Share

Este levantamento — elaborado em parceria entre o DIAP e as empresas Queiroz Assessoria Parlamentar e Sindical e Monitor-Leg Comunicação Legislativa — tem o propósito de antecipar os nomes dos candidatos com mais chances de eleição e ainda prever a bancada de cada partido na composição da futura Câmara dos Deputados. O prognóstico foi elaborado com projeção de números mínimo e máximo de possíveis eleitos por partido.

camara dos deputados

Leia também: també
Prognóstico preliminar sobre a futura Câmara dos Deputados

Prognóstico do DIAP para o Senado Federal por estado

O prognóstico, que faz parte da série Estudos Políticos, é o 3º produto do DIAP sobre estas eleições de 2018 — o 1º foi a cartilha Eleições Gerais 2018, o 2º, o diagnóstico sobre os candidatos à reeleição e o 4º vai ser a Radiografia do Novo Congresso.

Para identificar os nomes mais competitivos, a equipe do DIAP e das empresas Queiroz Assessoria e Monitor-Leg levou em consideração 6 variáveis:

1) pesquisas de intenções de votos;

2) histórico eleitoral dos partidos e de seus candidatos;

3) coligações em cada estado;

4) projeções dos próprios partidos (lideranças e diretórios);

5) estrutura da campanha dos candidatos, inclusive recursos financeiros e acesso ao horário eleitoral gratuito; e

6) estratégias partidárias.

O DIAP faz esse tipo de levantamento desde 1990 e seu nível de acerto supera 90%, o que lhe garante credibilidade. Diferentemente de muitas outras previsões, o DIAP não se limita a prever a futura composição dos partidos, avança fornecendo os dados com os números possíveis de cada coligação ou partido, bem como os nomes dos candidatos com mais chances de eleição.

Alertamos, desde logo, que trabalhos com estas características, destinados a identificar os candidatos mais competitivos, estão sujeitos a imprecisões e surpresas, razões pelas quais o fato de constar o nome nesta lista não significa que o candidato será eleito nem a ausência significa derrota. O motivo de eventuais imprecisões decorre, de um lado, do cálculo do quociente eleitoral, e, de outro, da existência de coligação, que dificultam a precisão do partido e do nome que pode ser eleito dentro da coligação.

Advertimos, ainda, que não se trata de pesquisa eleitoral ou de indicação de voto, mas apenas, e exclusivamente, de exercício de previsão para possibilitar leitura acurada e reflexão aos agentes econômicos e sociais sobre a futura composição do Congresso e sobre a governabilidade do futuro presidente da República.

Com informações quantitativas e qualitativas, pode-se antecipar que a futura Câmara terá renovação entre 40% e 45%, com a reeleição de algo em torno de 300 deputados, terá pequeno crescimento dos partidos de esquerda e de direita e discreta queda nos partidos de centro, mantendo-se muito próxima da composição atual em termos de distribuição partidária. O levantamento considera o possível desempenho de cada partido em cada uma das 27 unidades da Federação.

Segundo a tabela a seguir, com a sistematização e a tabulação da pesquisa por partido, é possível afirmar que o PT terá a maior bancada, seguido do MDB, PSDB, PP e PSD, num intervalo entre 40 e 65 deputados.

Num 2º grupo estão o PR, seguido do DEM, PSB, PDT e PRB, com bancadas variando de 20 e 40 deputados.

Num 3º bloco estão: PTB, PSL, Pros, PSC, PPS, PCdoB, Pode, PSol e SDD, com bancadas entre 10 e 20 deputados.

Num 4º grupo, entre 5 e 10 deputados, estão a Rede, o Novo, o Avante e o PV. E por, último, abaixo de 5, estão: PRP, Patri, PRTB, PTC, etc.

ELEIÇÕES 2018: CÂMARA DOS DEPUTADOS - BANCADAS  
PARTIDO ELEITA EM 2014 ATUAL

PROGNÓSTICO

DIAP 2018
MIN/MAX


PREVISÃO DOS PARTIDOS
PT 68 61 55-65 60-72
MDB 65 51 44-50 55
PSDB 54 49 42-50 55-60
PP 38 50 40-48 52-60
PSD 36 37 36-44 45-50
PR 34 40 36-40 40
DEM 21 43 28-36 40-45
PSB 34 26 27-34 30-35
PTB 25 16 16-20 25-27
PRB 21 21 22-30 20-30
PDT 20 19 24-30 30-40
PSL 1 8 15-18 30
SDD 15 10 9-18 27
PSC 13 9 10-14 15
PROS 11 11 11-16 21
PTN/PODE 4 17 10-13 20
PPS 10 8 11-13 12-15
PCdoB 10 10 10-12 13-14
PSOL 5 6 8-12 12
PV 8 3 6-10 16
REDE 0 2 6-10 9-15
Novo 0 0 5-10 15
PTdoB/AVANTE 2 5 5-8 s/previsão
PRP 3 0 3-5 s/previsão
PMN 3 0 0-1 s/previsão
PEN/PATRI 2 5 1-3 s/previsão
DC 2 0 0-1 s/previsão
PTC 2 0 1-2 s/previsão
PRTB 1 0 1-2 s/previsão
PHS 5 4 0-2 s/previsão
PPL 0 1 0-1 s/previsão
PMB 0 0 0-1 s/previsão

Fontes: DIAP, Queiroz Assessoria e Monitor-Leg

Por fim, também é possível prever que entre 15 e 20 partidos devem alcançar a cláusula de barreira, ou seja, atingir pelo menos 1,5% do eleitorado nacional, distribuído pelo menos em 1/3 (9) estados com ao menos 1% do eleitorado de cada estado ou eleger ao menos 9 deputados por diferentes estados.

O trabalho, elaborado/organizado por região, teve a coordenação de Antônio Augusto de Queiroz, que é jornalista, consultor, analista político, sócio-diretor da Queiroz Assessoria e diretor de Documentação do DIAP.

*Introdução atualizada nesta quarta-feira (3), às 12h48

A Diretoria

Clique em região/estado ou acesse todos os prognósticos

 
Região Norte

Região Nordeste

Região Centro-Oeste

Região Sudeste

Região Sul

Nós apoiamos

Nossos parceiros