PMDB no Senado escolhe Eunício Oliveira (CE) para líder do partido

Share

A bancada do PMDB no Senado reúne-se às 17 horas desta quinta-feira (31), quando deverá indicar o senador Renan Calheiros para disputar a presidência do Senado

eunicio oliveira1
Senador Eunício Oliveira em reunião da Comissão de Constituição e Justiça - Ailton de Freitas / O Globo / Arquivo: 11/07/2011

O senador Eunício Oliveira (CE) é o novo líder do PMDB no Senado. Ele substitui no cargo o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que deverá disputar a presidência do Senado nesta sexta-feira (1º). O anúncio sobre a escolha de Eunício Oliveira para a liderança foi feito pelo senador Renan, em nota oficial.

Na nota, Renan Calheiros afirma que a bancada do seu partido no Senado está unida e demonstrou coesão interna no debate sobre a liderança para o biênio 2013/2014. Também postulava a liderança do PMDB o senador Romero Jucá (RR).

Renan informa, ainda, na nota, que o senador Jucá “assumirá, se assim for o desejo dos demais senadores, a segunda vice-presidência do Senado, além da primeira vice-liderança partidária. Mais uma vez o PMDB demonstra sua unidade interna que tem proporcionado ao Brasil um quadro de estabilidade política fundamental para os avanços socioeconômicos."

A bancada do PMDB no Senado reúne-se às 17 horas desta quinta-feira (31), quando deverá indicar o senador Renan Calheiros para disputar a presidência do Senado. De acordo com o presidente em exercício do partido, senador Valdir Raupp (RO), o único peemedebista que colocou seu nome para disputar a presidência do Senado foi Renan Calheiros.

Perfil
O senador está no primeiro mandato, cearense, agropecuarista e empresário. Começou a carreira política ainda jovem, como líder estudantil e presidente da Casa do Estudante do Ceará. Foi presidente da Federação de Transporte de Valores e da Federação do Comércio de Brasília, bem como do Sesc e do Senac. Filiou-se ao PMDB em 1976, é presidente estadual e tesoureiro da executiva nacional do partido. Exerceu três mandatos de deputado federal, sempre com as maiores votações do partido e foi líder do PMDB na Casa por dois mandatos.

É autor da Lei 11.322, que renegociou as dívidas de mais de 350 mil pequenos agricultores do semi-árido nordestino e relator do projeto de transposição das águas do Rio São Francisco. Um dos responsáveis pela adesão do PMDB à base de sustentação do governo, é muito prestigiado no Palácio do Planalto desde a gestão do ex-presidente Lula, de quem foi ministro das Comunicações, e deu início à implantação de um modelo nacional de TV Digital no Brasil.

Como ministro também iniciou o maior programa de inclusão digital da América Latina. Elegeu-se em 2010 senador com a maior votação da história do Ceará. Já no início da primeira legislatura, tornou-se presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado.

Atua também em outros colegiados como a Comissão de Assuntos Econômicos, de Meio Ambiente e de Comissão de Ciência e Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática, tendo presidido esta última na Câmara dos Deputados. Em 2003, além de figurar na lista dos “Cabeças”, também foi escolhido um dos 10 parlamentares mais influentes do Congresso Nacional. Destaca-se como articulador. (Com Agência Brasil)

Nós apoiamos

Nossos parceiros