Bolsonaro demite Canuto; Marinho assume como ministro do Desenvolvimento Regional

Share

O presidente Jair Bolsonaro exonerou, nesta quinta-feira (6), o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto. Segundo o decreto, a saída ocorre a pedido de Canuto. No portal do G1

rogerio marinho ministro
O ex-secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, em imagem de arquivo | Foto: Edu Andrade | Ministério da Economia

O cargo vai ser ocupado por Rogério Marinho, que atuava como secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia. A troca foi publicada em edição extra do “Diário Oficial da União”.

Marinho foi nomeado secretário de Previdência pelo ministro Paulo Guedes durante a transição de governo, no fim de 2018. Durante a tramitação da reforma da Previdência, o economista foi responsável pela articulação política e pelos esclarecimentos sobre a proposta do governo.

Rogério Marinho é filiado ao PSDB e, entre 2007 e 2018, foi deputado federal pelo Rio Grande do Norte. Em 2017, foi relator na Câmara dos Deputados da Reforma Trabalhista enviada pelo governo Michel Temer. Nas últimas eleições, em 2018, ele não conseguiu se reeleger deputado federal.

O Ministério do Desenvolvimento Regional foi criado pelo governo Bolsonaro a partir da junção de 2 pastas: os antigos ministérios das Cidades e da Integração Regional. Gustavo Canuto foi nomeado ministro no início do governo, e ficou pouco mais de 1 ano no cargo.

Segundo o site institucional, o ministério tem a função de “integrar as diversas políticas públicas de infraestrutura urbana e de promoção do desenvolvimento regional e produtivo”.

Durante as fortes chuvas que atingiram cidades de Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro, no mês passado, Canuto sobrevoou as áreas afetadas e anunciou aportes do governo federal para as ações de reconstrução.

5ª troca
Com a mudança no Desenvolvimento Regional, Bolsonaro soma 5 trocas na equipe ministerial desde janeiro de 2019, quando começou o governo. As outras trocas ministeriais foram:

• Secretaria-Geral: Floriano Peixoto no lugar de Gustavo Bebianno

• Educação: Abraham Weintraub no lugar de Ricardo Vélez Rodríguez

• Secretaria de Governo: Luiz Eduardo Ramos no lugar de Carlos Alberto dos Santos Cruz

• Secretaria-Geral: Jorge Oliveira no lugar de Floriano Peixoto

Nós apoiamos

Nossos parceiros