Em defesa do banco público, Débora Fonseca toma posse no CA do BB

  • Imprimir

A nova representante do funcionalismo no Conselho de Administração (Caref) do Banco do Brasil, Débora Fonseca, tomou posse. Eleita com votação expressiva (foram mais de 31 mil votos), são muitos os desafios colocados pela frente, principalmente por causa dos ataques de um governo que tem defendido abertamente a privatização das empresas públicas.

debora caref bb

“Será um mandato coletivo, feito com a participação dos bancários e das bancárias do BB”, resume Débora, reforçando as bandeiras de luta da sua plataforma eleitoral, focada na defesa do banco como instituição pública, da sua importância social e como instrumento de desenvolvimento econômico.

Leia também:
Frente parlamentar defende bancos públicos de possível privatização

Para isso, a nova Caref atuará em diversas frente, inclusive no Congresso Nacional, e contará com o apoio não só do funcionalismo, mas também da maioria das entidades de representação dos bancários, por todo o país, a exemplo do aconteceu durante a sua campanha. “É um suporte muito importante, já que serei apenas uma representante dos trabalhadores entre os nove integrantes do Conselho de Administração do BB”.

O Conselho de Administração toma as decisões mais importantes da empresa referentes a temas como orçamento, investimentos, aquisições, criação e venda de subsidiárias política de crédito e produtos e negócio. Nem todos os assuntos, contudo, são votados pelo representante dos funcionários.

A eleição de um representante nos conselhos de administração das empresas estatais — como Banco do Brasil, Caixa, Petrobras e outras — é uma conquista das centrais sindicais. A reivindicação foi contemplada por meio da Lei 12.353/10.