MP de Bolsonaro reestrutura organização de ministérios

Share

Na última terça-feira (1º) foi publicada na edição especial do DOU a MP 870/19, que estabelece a organização básica dos órgãos da Presidência da República e dos ministérios. O documento confirma a estrutura de governo já anunciada, com 22 pastas. Com portal Migalhas

ministerio bolsonaro posse 1 01 19

Por exemplo, o Ministério do Trabalho que foi extinto e “esquartejado” terá a atribuição do Registro Sindical e imigrações transferidos para o Super Ministério da Justiça, a cargo de Sérgio Moro. A Economia Solidária foi para Cidadania. E as demais atribuições foram para o super Economia, a cargo de Paulo Guedes.

De acordo com a medida, integram a presidência da República os seguintes órgãos: Casa Civil; Secretaria de Governo; Secretaria-Geral; Gabinete Pessoal do Presidente da República; Gabinete de Segurança Institucional; Autoridade Nacional de Proteção de Dados Pessoais. Conselho da República e Conselho de Defesa Nacional são os órgãos de consulta de Bolsonaro.

Pela MP, são 16 ministérios: Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Cidadania; Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações; Defesa; Desenvolvimento Regional; Economia; Educação; Infraestrutura; Justiça e Segurança Pública; Meio Ambiente; Minas e Energia; Mulher, Família e Direitos Humanos; Relações Exteriores; Saúde; Turismo; e a Controladoria-Geral da União.

Têm status de ministérios o chefe da Casa Civil; o chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República; o chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República; o chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República; o advogado-geral da União; e o presidente do Banco Central.

A MP estabelece que a Casa Civil tenha duas secretarias especiais, uma para a Câmara dos Deputados e outra para o Senado Federal.

A Secretaria de Governo da Presidência da República terá em sua estrutura básica novas secretarias como a secretaria especial de Assuntos Federativos e a secretaria especial de Articulação Social.

Veja os nomes dos ministros:

1) Agricultura, Pecuária e Abastecimento: Tereza Cristina

2) Cidadania: Osmar Terra

3) Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações: Tenente-coronel Marcos Pontes

4) Defesa: General Fernando Azevedo

5) Desenvolvimento Regional: Gustavo Canuto

6) Economia: Paulo Guedes

7) Educação: Ricardo Vélez Rodrigues

8) Infraestrutura: Tarcísio Gomes de Freitas

9) Justiça e Segurança Pública: Sergio Moro

10) Meio Ambiente: Ricardo Salles

11) Minas e Energia: Bento Costa Lima

12) Mulher, Família e Direitos Humanos: Damares Alves

13) Relações Exteriores: Ernesto Araújo

14) Saúde: Luiz Henrique Mandetta

15) Turismo: Marcelo Álvaro Antônio

16) Controladoria-Geral da União: Wagner Rosário

Nós apoiamos

Nossos parceiros