Como seria a Câmara, sob o “distritão” ou sem coligação

Share

Para contribuir com o debate sobre a reforma política, o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP) trabalhou com três cenários em relação à atual composição da Câmara dos Deputados: 1) como ficou com o sistema atual e com coligação, 2) como ficaria com o “distritão”, e 3) como ficaria com o sistema atual, porém sem coligação na eleição proporcional.

Com base nestas simulações, o DIAP elaborou a tabela com os quantitativos de eleitos por partido, segundo cada um destes cenários, e também fez levantamento sobre os eleitos em 2014, caso estivesse em vigor o “distritão”, com o nome dos que teriam sido eleitos e os que teriam ficado fora da atual composição da Câmara.

Com a simulação sobre o número de eleitos por partido, a tabela a seguir documenta que haveria, além de mudança de composição das bancadas, de acordo com cada cenário, uma redução do número de partidos com representação na Câmara dos Deputados: 1) com o “distritão”, de 28 para 27, e 2) com o fim das coligações, de 28 para 25 partidos.

Nós apoiamos

Nossos parceiros