Congresso Nacional: novos líderes e representantes de partidos

Share

Os líderes partidários, que constituem o Colégio de Líderes, têm a competência para dar celeridade ao processo decisório no Legislativo mediante consenso

A sessão legislativa de 2011 tem 27 líderes ou representantes partidários em atuação na Câmara neste início da 54ª Legislatura.

Além dos líderes ou representantes das 22 legendas com representação na Casa, foram formados três blocos parlamentares. Completam a lista os titulares das lideranças do Governo e da Minoria.

Os blocos parlamentares ficaram assim constituídos: Bloco PSB, PTB, PCdoB; Bloco PR, PRB, PTdoB, PRTB, PRP, PHS, PTC, PSL; e Bloco PV, PPS.

A figura do líder partidário exerce função decisiva no Parlamento. É um dos principais cargos no arranjo institucional da Câmara dos Deputados e do Senado Federal ao lado da Mesa Diretora.

Os líderes partidários, que constituem o Colégio de Líderes, têm a competência para dar celeridade ao processo decisório no Congresso Nacional mediante consenso.

Representação
Para indicar um líder, o partido deve ter no mínimo cinco deputados, o que equivale a um centésimo da composição da Câmara. No Senado não há restrição, podendo um parlamentar se candidatar à liderança, ainda que seja o único representante da legenda na Casa.

No caso da Câmara, há sete partidos com bancadas inferiores a cinco parlamentares: PSol, PTdoB, PHS, PTRB, PRP, PTC e PSL. Essas legendas, entretanto, têm direito a nomear representantes para expressar posições partidárias em votações e fazer o uso da palavra no tempo destinado às comunicações de lideranças.

Maioria e Minoria
Além dos líderes de bancadas, existe a previsão regimental para nomeação de uma liderança de Governo, da Maioria e da Minoria (Oposição).

No primeiro caso, a indicação é pessoal do Presidente da República. No segundo, há rodízio entre os partidos da coalizão majoritária, em geral cabendo a indicação ao maior partido. No terceiro e último caso - minoria - a escolha também se dá por rodízio entre os partidos de oposição.

O líder do governo tem como prerrogativas: usar da palavra, participar das deliberações de qualquer comissão, sem direito a voto, encaminhar a votação ou requerer a sua verificação, além de orientar a bancada sobre as deliberações em plenário.

Senado Federal
No Senado, 16 líderes partidários protagonizam a condução do processo legislativo em 2011.

Neste grupo, há cinco legendas compostas de apenas um representante cada: Marcelo Crivella (PRB-RJ), Eduardo Amorim (PSC-SE), Sérgio Petecão (PMN-AC), Itamar Franco (PPS-MG) e Paulo Davim (PV-RN).

Atuam também na Casa o líder do Bloco de Apoio ao Governo, senador Humberto Costa (PE), que acumula o cargo de líder da bancada do PT, e o líder do Governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR).

Conheça o perfil dos líderes partidários de 2011, por Casa do Congresso:

CÂMARA

PT - Paulo Teixeira (SP)
Deputado, 2º mandato, advogado. Político experiente, foi três vezes vereador em São Paulo, secretário de Habitação e Desenvolvimento Urbano do Município de São Paulo, diretor-presidente da Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo e administrador regional da Prefeitura de São Miguel Paulista. Antes de assumir a liderança, já havia exercido o cargo de vice-líder do PT na Câmara. E também membro da direção nacional do partido e presidente do diretório regional paulista. Parlamentar com excelente formação acadêmica, tem mestrado em Direito Constitucional. No mandato de deputado federal, tem se dedicado a discutir, entre outras temas, mudanças nas políticas de combate às drogas e a ampliação dos programas de combate à Aids. O reconhecimento desse trabalho é do Grupo de Apoio à Prevenção à Aids (Gapa), que premiou 100 ativistas, gestores e personalidades que ajudaram o Grupo e contribuíram no combate à epidemia no País.

PMDB - Henrique Eduardo Alves (RN)
Deputado, 11º mandato, advogado e empresário. Membro de família tradicional na política do Rio Grande do Norte, tem participação acionária na rádio Cabugi, na Inter-TV (Globo) e na rádio difusora de Mossoró, integrando a bancada da comunicação na Casa. Relatou, por exemplo, a Emenda Constitucional 36, que dispõe sobre a participação do capital estrangeiro nos veículos de comunicação. Foi presidente da Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público, quando recebeu elogios pelo modo democrático como conduziu esse órgão técnico da Câmara, dando-lhe grande dinâmica com a promoção de vários debates sobre a reforma sindical. Também já presidiu a Comissão de Constituição e Justiça. Na Câmara desde 1971, é o deputado com maior número de mandatos.

PSDB - Duarte Nogueira (SP)
Deputado, 2° mandato, engenheiro agrônomo e produtor rural. Ao longo de sua trajetória política, iniciada em 1994, foi deputado estadual por três mandatos consecutivos, secretário de Habitação do Estado e secretário de Agricultura e Abastecimento. Na Câmara, tem se destacado como articulador e negociador. É relator da Subcomissão Permanente de Acompanhamento das obras do Programa de Aceleração do Crescimento e também integra a subcomissão permanente de Radiodifusão. Antes de assumir a liderança do PSDB, já havia atuado como primeiro vice-líder do partido. No comando da maior legenda de oposição na Câmara, Nogueira pretende fiscalizar com rigor o governo de Dilma Rousseff, prometendo uma postura firme, consistente e responsável.

PP - Nelson Meurer (PR)
Deputado, 5º mandato, agropecuarista. Iniciou sua trajetória política como prefeito de Francisco Beltrão pelo PDS (1989-1993), cidade onde presidiu o Sindicato Rural Patronal e a Cooperativa de Eletrificação Rural. Na Câmara, já integrou diversas comissões permanentes e também o Conselho de Ética. Foi vice-líder do PP e relator setorial do Orçamento da União 2010, para os Ministérios do Trabalho, Desenvolvimento Social e Previdência Social. Membro da bancada ruralista, é uma das referências do setor no Parlamento.

DEM - Antonio Carlos Magalhães Neto (BA)
Deputado, 3º mandato, advogado e empresário. Neto e herdeiro político do ex-senador Antonio Carlos Magalhães, foi campeão de votos no estado nas três eleições que disputou para a Câmara. Parlamentar articulado, de boa oratória e forte convicção liberal, iniciou a militância política na presidência da Força Jovem do PFL, atual Democratas, chegando à vice-presidência nacional do partido. É vice-presidente nacional do Democratas para assuntos de ciência e tecnologia. Surpreendeu, já no 1º mandato, pela qualidade de suas intervenções, especialmente durante os debates das reformas Previdenciária e Tributária. Com luz própria e bom trânsito entre seus pares, já foi 2º vice-presidente da Câmara dos Deputados e membro do Conselho de Ética.

PR - Lincoln Portela (MG)
Deputado, 4º mandato, radialista, apresentador de televisão e conferencista. Antes de assumir o mandato de deputado federal, foi secretário municipal adjunto de Esportes de Belo Horizonte. Articulado, já no primeiro mandato, foi líder e vice-líder partidário. É autor do PL 7.463/2010, que dispõe sobre a classificação indicativa de videoclipes musicais exibidos em emissoras de televisão. Até chegar à liderança, foi vice-líder e líder interino do PR com a renúncia do então líder Sandro Mabel (GO). Ministro Batista, é integrante da bancada evangélica. Assíduo na tribuna do plenário da Câmara, é bem quisto entre os colegas deputados e também entre os servidores da Casa.

PSB - Ana Arraes (PE)
Deputada, 2° mandato, advogada. Filha do ex-governador Miguel Arraes e mãe do governador do Pernambuco, Eduardo Campos, ao longo de sua vida, Ana Arraes participou, ao lado do pai, de diversas lutas políticas. A parlamentar entrou na vida pública com a terceira maior votação do Estado, contabilizando mais de 178 mil votos em 2006. Foi reeleita em 2010 com a maior votação do estado, registrando o apoio de 387.581 eleitores. Na Câmara, já presidiu a Comissão de Defesa do Consumidor e integrou a comissão especial da Reforma Tributária. Com um mandato voltado para a concretização da justiça social, é também protagonista na defesa dos direitos das mulheres. Na liderança do partido, pretende priorizar os projetos de reforma tributária e política.

PDT - Giovanni Queiroz (PA)
Deputado, 5º mandato, médico e agropecuarista. Iniciou na vida política como prefeito de Conceição do Araguaia/PA, integrando os quadros da Arena. Antes de ingressar no Parlamento Federal, exerceu um mandato de deputado estadual, já filiado ao PDT. Foi também coordenador da Funasa em Belém. Membro da bancada ruralista, é fundador é primeiro-presidente do Sindicato Rural de Rendenção/PA. Na Câmara, já ocupou os cargos de primeiro e segundo suplente de secretário da mesa diretora. Assume a liderança do partido depois de sucessivas passagens pela vice-liderança.

PTB - Jovair Arantes (GO)
Deputado, 5º mandato, cirurgião-dentista e produtor rural. Foi vereador, secretário de Saúde municipal, vice-prefeito de Goiânia, presidente da Companhia de Urbanização do Goiás, presidente da Indústria Química de Medicamentos do Estado de Goiás, além de deputado estadual. Na Câmara, já presidiu a Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público. É autor, entre outras matérias, da Proposta de Emenda Constitucional que permite ascensão funcional no serviço público e do projeto de lei que anistia os servidores públicos em razão de greve. Em 2010, foi o coordenador da bancada de Goiás na Comissão Mista de Orçamento. Parlamentar articulado, seus pares o reconduziram à liderança do PTB na Casa.

PSC - Ratinho Júnior (PR)
Deputado, 2º mandato, empresário. A trajetória política de Ratinho Júnior teve início em 2002, quando, aos 21 anos, ele foi o deputado estadual mais votado da história do Paraná. Em 2006, Ratinho obteve a segunda maior votação para a Câmara Federal, com 205 mil votos. Campeão de votos no estado em 2010 com 358.924 votos, o deputado retorna à Casa como líder do PSC, partido que preside no Paraná. No primeiro mandato de deputado federal, foi vice-presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática. Antes mesmo da confirmação na liderança, Ratinho já havia declarado como prioridades a votação das reformas política e tributária e a aprovação de projetos como o que isenta de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) a aquisição de veículos de transporte escolar por motoristas autônomos.

PCdoB - Osmar Júnior (PI)
Deputado, 2º mandato, servidor público e professor. Com origens no movimento estudantil e um histórico de lutas, Osmar Júnior ingressou na política como vereador de Teresina. Foi também vice-governador nas gestões de Mão Santa e de Wellington Dias, secretário municipal de Transportes em Teresina e presidente da Fundação Estadual de Cultura e Esportes do Piauí, entre outros cargos em secretarias estaduais e municipais. Como líder do partido, pretende defender a manutenção e aprofundamento do modelo de distribuição de renda implantado no Governo Lula.

PV - Sarney Filho (MA)
Deputado, 8º mandato, advogado e empresário. De família tradicional no Maranhão, é filho do presidente do Senado e ex-presidente da República, José Sarney (PMDB), e irmão da governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB). No Estado, exerceu o cargo de secretário para Assuntos Políticos. No Executivo, assumiu o Ministério do Meio Ambiente durante a gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Parlamentar experiente, já presidiu a Comissão de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização e a Comissão de Defesa do Consumidor, Meio Ambiente e Minorias. É presidente da Frente Parlamentar Ambientalista para o Desenvolvimento Sustentável e foi um dos coordenadores do referendo sobre o desarmamento no País.

PRB - Vitor Paulo (RJ)
Deputado, 1º mandato, jornalista e radialista. Ligado ao senador Marcelo Crivella, é presidente nacional do PRB e bispo da Igreja Universal do Reino de Deus. É o coordenador político da Universal e integrante do Conselho de Bispos desde a destituição do ex-deputado federal e ex-bispo Carlos Rodrigues, por envolvimento com o caso Waldomiro Diniz, em 2004. Iniciou a vida política em Brasília, exercendo o cargo de deputado distrital. Também foi titular da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Distrito Federal. Ex-diretor superintendente da Rede Record de Televisão, presidiu a Associação Brasileira de Radiodifusão, Tecnologia e Telecomunicações - Abratel.

PPS - Rubens Bueno (PR)
Deputado, 3º mandato, professor. O parlamentar chega à Casa com a experiência de quem já exerceu outros dois mandatos federais: 49ª Legislatura (1991-1995) e 51ª Legislatura (1999-2003). Na trajetória política, acumula dois mandatos de deputado estadual; o cargo de secretário de Justiça, Trabalho e Ação Social do Estado do Paraná; e prefeito de Campo Mourão/PR. Também foi presidente da Fundação de Ação Social e diretor administrativo da Itaipu Binacional. Defensor da implantação do parlamentarismo no País, entre as prioridades na condução dos trabalhos como líder, Bueno destaca a reforma política, investimentos em ciência e tecnologia e redução da carga tributária. Outra área que merecerá atenção de Bueno é a Previdência Social.

PMN - Fábio Faria (RN)
Deputado, 2º mandato, administrador de empresas. Um dos deputados federais mais jovens da Câmara, na eleição para o 1º mandato, em 2006, foi o campeão de votos no estado. Não repetiu o desempenho em 2010, mas conseguiu se reeleger. Retorna à Casa como líder do PMN e coordenador da bancada federal do Rio Grande do Norte, cargo que exerce desde 2008. No Parlamento, as principais bandeiras de atuação estão relacionadas às áreas de turismo e esporte. O deputado também preside a Frente Parlamentar Mista de Combate ao Crack.

PTdoB - Lourival Mendes
Deputado, 1º mandato, delegado de Polícia. Chega à Câmara Federal com a experiência de dois mandatos de vereador de São Luis e um mandato de deputado estadual. Também teve militância associativa ao presidir a Associação dos Delegados de Política Civil do Maranhão. Entre as atividades parlamentares, destaque para a presidência da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Municipal de São Luís e para o exercício do cargo de primeiro secretário da mesa na mesma casa legislativa. Uma das bandeiras que o deputado já começa a defender na Câmara Federal é a criação do Ministério da Segurança Pública.

PSol - Ivan Valente (SP)
Deputado, 5º mandato, engenheiro mecânico e professor. Defensor do ensino público e gratuito, é especialista em matéria educacional. Um dos fundadores do PT, migrou para o Psol por discordar do modelo econômico e da condução das políticas sociais do Governo Lula. Político de visão abrangente, tem se dedicado ao debate de temas nacionais e internacionais, notadamente os que cuidam da consolidação do Bloco do Mercosul. É também um grande defensor da ética na política e da punição dos parlamentares envolvidos com desvio de conduta. A atuação partidária, no parlamento e na sociedade, tem sido marcada pela coerência e compromisso com os interesses dos trabalhadores, das maiorias nacionais e com a luta pela democracia e o socialismo. É presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Voto Aberto. Além de liderar o Psol na Câmara, é membro da executiva nacional do partido.

PHS - Felipe Bornier (RJ)
Deputado, 2º mandato, empresário. Filho do ex-deputado federal e ex-prefeito de Nova Iguaçu Nelson Bornier, Felipe tem base eleitoral em municípios da baixada fluminense. Na atuação parlamentar, prioriza as demandas da região e está sempre focado na aprovação de projetos que garantam recursos para as Olimpíadas e para a Copa do Mundo e também as proposições que incentivam a prática de esporte em comunidades e escolas. O debate sobre ética na Câmara, com vistas a resgatar a credibilidade da Casa, e as questões relativas a direito do consumidor são outros temas prioritários para o deputado.

PRTB - Aureo (RJ)
Deputado, 1º mandato, empresário. Parlamentar mais novo da bancada federal do Rio de Janeiro, Áureo é oriundo de Duque de Caxias, cuja prefeitura está entre as suas pretensões políticas. Em sua estréia na Câmara, deverá atuar em favor do interior fluminense, através de parcerias com as prefeituras. Membro da Igreja Metodista, tendo participado ativamente da direção de toda rede social deste grupo religioso no estado, o parlamentar integra a bancada evangélica na Casa. Entre as prioridades do deputado estão os temas ligados à educação e treinamento profissionalizante para inserir o jovem no mercado de trabalho.

PRP - Jânio Natal - BA
Deputado, 1º mandato, administrador. Estreante na Câmara Federal, mas experiente na política, o parlamentar já foi vereador de Salvador, deputado estadual, prefeito de Belmonte/BA e prefeito de Porto Seguro/BA. Antes de ingressar no PRP, a trajetória na vida pública ocorreu sob a tutela de outros quatro partidos (PL-PP-PPB-PDT). Tanto na Câmara Municipal quanto na Assembléia Legislativa, exerceu cargos nas mesas diretoras. Na Assembléia, presidiu a Comissão de Minas, Energia, Ciência e Tecnologia. Integra a bancada de empresários na Casa.

PTC - Edivaldo Holanda Junior (MA)
Deputado, 1º mandato, bacharel em Direito e empresário. É filho de Edivaldo Holanda, político experiente no Maranhão, que exerceu os cargos de vereador, deputado estadual e deputado federal constituinte. Junior chega ao Parlamento Federal com a experiência de dois mandatos como vereador de São Luís. Na Câmara Municipal, foi presidente da Comissão de Constituição e Justiça. Com apenas 32 anos, surpreendeu a classe política maranhense porque conquistou a maior votação em São Luís, mais de 72 mil votos, e ficou entre os dez mais votados da bancada federal do estado. Membro da Igreja Batista, integra a bancada evangélica na Casa.

PSL - Dr. Grilo (MG)
Deputado, 1º mandato, advogado. Com militância na advocacia laboral, o representante do PSL será mais uma voz na Câmara em defesa da redução da jornada de trabalho e também dos projetos que assegurem a valorização do trabalhador. O mandato também deverá ser voltado para o atendimento de demandas na área de assistência social. Engrossa as fileiras da bancada evangélica na Casa porque é membro da Igreja Internacional da Graça.

Líder do governo - Cândido Vaccarezza (PT-SP)
Deputado, 2º mandato, médico. Antes de chegar ao Parlamento, foi um deputado estadual muito atuante, que presidiu a Comissão de Constituição e Justiça e a Comissão Especial de Consolidação das Leis do Estado de São Paulo. É de sua autoria a criação do Sistema de Sangue do Estado de São Paulo e o Código do Idoso do Estado. Na Câmara Federal, já exerceu o cargo de líder do PT e líder do Governo Lula. Coordenou o Grupo de Trabalho para Consolidação das Leis e é autor do PL 1.987/07, que consolida as leis do trabalho. Articulado, foi presidente da Comissão Especial que analisou a PEC 511/06, instituindo novas regras de edição e tramitação de medidas provisórias.

Líder da Minoria - Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG)
Deputado, 2º mandato, advogado. É filho do ex-ministro da Justiça e ex-deputado federal, Ibrahim Abi-Ackel. Estreou na Câmara com vasta experiência na área jurídica, já tendo exercido o cargo de juiz eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais. Foi 2º vice-presidente da CPI que investigou escutas telefônicas clandestinas ou ilegais. É o 2º vice-presidente da Comissão Especial da PEC 130/07, que revoga dispositivos que garantem a prerrogativa de foro privilegiado. É autor, entre outras proposições, do PL 3.628/2008, que altera o Estatuto da Advocacia da OAB para permitir a inscrição como estagiário do estudante de Direito, a partir do 5º período do curso jurídico; e do PL 6.178/2009, que permite intimações por meio eletrônico dos atos processuais, tanto para o endereço eletrônico do advogado como para o e-mail da sociedade de advogados a qual pertença. Presidente do PSDB mineiro, era um dos principais interlocutores durante a gestão de Aécio Neves no Governo de Minas Gerais. Antes de assumir a liderança, já havia atuado como vice-líder da Minoria.

SENADO

PMDB - Renan Calheiros (AL)
Senador, 3º mandato, advogado e produtor rural. Experiente, iniciou sua trajetória política no movimento estudantil. Foi deputado estadual e federal. Na Assembléia Nacional Constituinte foi autor da proposta que tornou facultativo o voto aos 16 anos. Parlamentar articulado, com forte trânsito e de boa formação, ocupou a 2ª Secretaria da Mesa em 1995, quando coordenou um grupo de trabalho que iniciou o processo de modernização do Senado. Em 2005, alcançou o ápice da carreira parlamentar ao ser eleito presidente do Senado e, consequentemente, do Congresso Nacional. Foi reeleito para o cargo em 2007, mas renunciou ao posto em razão do processo apresentado pelo PSol no Conselho de Ética. Ministro da Justiça no Governo Fernando Henrique, foi considerado um dos mais populares, com atuação nas áreas de defesa do consumidor e da cidadania. Relatou, em 2002, a medida provisória que regulamentou o pagamento de benefícios a anistiados políticos. Trabalhou pela aprovação do Estatuto do Desarmamento e foi autor do projeto de resolução que convocou, em 2005, o referendo sobre a proibição de comercialização de armas de fogo no Brasil. É relator no Senado do PLC 7/10, que cria o chamado Fundo Social e dispõe sobre sua estrutura e fontes de recursos. Com mandato renovado em 2010, também confirmou sua recondução à Liderança do partido na Casa no início da 54ª Legislatura.

PT - Humberto Costa (PE)
Senador, 1º mandato, médico e jornalista. Pós-graduado em Medicina Geral Comunitária, Clínica Médica e Psiquiatria, foi presidente da Associação Pernambucana de Médicos Residentes, e primeiro-secretário do Sindicato dos Médicos de Pernambuco. Fundador do PT no Estado, é o atual vice-presidente nacional do partido. Foi deputado estadual e deputado federal. Em sua atuação na Câmara Federal, era reconhecido como um parlamentar de fácil trato, com excelentes relacionamentos no Congresso, que liderava a oposição ao Governo FHC. Depois de sua passagem pela Câmara, exerceu o cargo de vereador de Recife, secretário municipal de Saúde. Com Lula na Presidência da República, Costa foi empossado ministro da Saúde, quando implantou a Farmácia Popular, o Samu e o Brasil Sorridente em todo o Brasil. De volta ao estado, assumiu a Secretaria das Cidades de Pernambuco no primeiro Governo de Eduardo Campos. No retorno ao Legislativo federal, assume o desafio de liderar o PT e o Bloco de Apoio ao Governo Dilma Rousseff no Senado.

PSDB - Alvaro Dias (PR)
Senador, 3º mandato, professor. Político experiente, foi presidente da Telepar, deputado estadual, deputado federal e governador do Paraná. Vice-presidente nacional do PSDB, foi um dos vice-líderes do Bloco da Minoria mais ativos do Senado. Presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Terra, enfrentou o MST - Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra, investigando as cooperativas do movimento. Foi também presidente da CPI do Futebol, quando liderou importante investigação no setor, contribuindo para a moralização do esporte brasileiro. Parlamentar assíduo aos trabalhos de plenário, foi um crítico contundente da gestão do presidente Lula. Irmão do senador Osmar Dias, Alvaro Dias iniciou sua carreira política no MDB, depois transformado em PMDB, passou pelo PDT até filiar-se ao PSDB. O senador já estava no exercício da liderança do partido desde dezembro de 2010 em substituição a Arthur Virgílio, que exerceu o cargo por oito anos.

PTB - Gim Argello (DF)
Senador, 1º mandato, advogado e empresário. Político experiente, foi duas vezes deputado distrital, tendo ocupado a vice-presidência e a presidência da Câmara Legislativa do Distrito Federal (2001/2002). Secretário de Trabalho na gestão do governador Joaquim Roriz (1997), de quem foi 1° suplente no Senado. Foi efetivado no mandato em 2007, após a renúncia do titular. É presidente do diretório estadual do PTB do Distrito Federal. Estreou no Congresso com desenvoltura de veterano, tendo sido em 2008 o 3° vice-presidente da Comissão Mista de Orçamento, Fiscalização e Controle e relator setorial da área de Trabalho e Previdência Social do Projeto de Lei Orçamentária Anual de 2009. Também foi Procurador Parlamentar, membro da CPI dos Cartões Corporativos e vice-presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar. Permanece na liderança do PTB e na vice-liderança do Governo no Senado com o início da 54ª Legislatura.

DEM - José Agripino (RN)
Senador, 4º mandato, engenheiro civil e empresário. Político experiente e de família tradicional no Estado, é uma das maiores lideranças do Rio Grande do Norte. Prefeito de Natal (1979-82) e duas vezes governador do Estado (1983-86 e 1991-94), ganhou projeção nacional no Senado como presidente da Comissão de Constituição e Justiça e como líder partidário. É um dos fundadores do PFL, atual DEM. Parlamentar articulado, com o início da 54ª Legislatura, permanece à frente da liderança da legenda no Senado. Foi um dos principais críticos do Governo Lula no Congresso e deverá manter postura de fiscalização permanente às ações da Presidente Dilma Rousseff.

PP - Francisco Dornelles (RJ)
Senador, 1º mandato, servidor público, doutor em Direito Financeiro pela UFRJ e professor universitário. Político experiente, já exerceu cinco mandatos de deputado federal e diversos cargos públicos: procurador-geral da Fazenda Nacional, secretário da Receita Federal e ministro da Fazenda do Governo José Sarney, da Indústria e Comércio, e do Trabalho e Emprego nos Governos de Fernando Henrique Cardoso, de quem foi aliado incondicional. Parlamentar de grande prestígio no Congresso, foi presidente da Comissão de Sistema Tributário na Constituinte. Especialista em finanças e tributação, exerceu por três vezes a presidência da Comissão de Finanças da Câmara. Foi relator da Subcomissão Temporária da Reforma Tributária no Senado Federal. Defensor da livre iniciativa, é um dos principais interlocutores do empresariado no Poder Legislativo. Também defende o orçamento impositivo. Presidente nacional do PP, permanece na liderança do partido no Senado com o início da 54ª Legislatura.

PR - Magno Malta (ES)
Senador, 2º mandato, músico e pastor da Igreja Batista. Parlamentar articulado, elegeu-se senador após ter sido vereador em Cachoeiro do Itapemerim, deputado estadual e deputado federal. Tem priorizado no Parlamento o combate ao crime organizado, ao uso de drogas, à união civil entre pessoas do mesmo sexo e à exploração sexual de crianças e adolescentes. Na Câmara dos Deputados, presidiu a CPI que investigou o narcotráfico no Brasil. No Senado Federal, presidiu a CPI da Pedofilia e de combate à prostituição infanto-juvenil em todo o País. É o parlamentar responsável por manter na agenda do Parlamento e da sociedade o combate à pedofilia, tema delicado e sobre o qual, geralmente, os deputados e senadores evitam o enfrentamento.

PDT - Acir Gurgacz (RO)
Senador, 1º mandato, empresário nas áreas de transporte, comunicação e mineração. Ingressou na vida pública como prefeito de Ji-Paraná/RO. Presidente do PDT em Rondônia, o senador inicia a 54ª Legislatura com o desafio de liderar a bancada na Casa. No mandato parlamentar, Acir teve atuação destacada como membro da Comissão de Infraestrutura e sub-relator da Comissão Especial da reformulação do Código de Processo Civil. O senador é autor de projeto que propõe a isenção de IPI para a produção a base de matérias primas regionais; de projeto que estabelece flexibilidade na reserva ambiental legal; e também de PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que define patamar mínimo do PIB para investimentos em infra-estrutura.

PSB - Antônio Carlos Valadares (SE)
Senador, 3º mandato, advogado e empresário. Político experiente, foi prefeito de Simão Dias (SE), deputado estadual por duas legislaturas, deputado federal, secretário estadual de Educação e Cultura, além de vice-governador e governador de Sergipe. Parlamentar atuante e de perfil progressista, combina o interesse regional com temas de amplitude nacional. Articulado e com bom trânsito no Parlamento, já foi vice-líder do Governo no Senado e exerceu a 2ª suplência da Mesa Diretora da Casa. Com o início da 54ª Legislatura, foi reconduzido à liderança do PSB no Senado.

PCdoB - Inácio Arruda (CE)
Senador, 1° mandato, servidor público. Identificado com as lutas populares, sempre atuou como coordenador no Estado de movimentos cívicos como nas Diretas Já, no impeachment de Collor, além de liderar o movimento de moradores de bairros e favelas de Fortaleza. Antes de chegar ao Senado, foi vereador em Fortaleza, deputado estadual no Ceará e três vezes deputado federal. Autor da Proposta de Emenda Constitucional que fixa a jornada em 40 horas semanais, defensor dos assalariados, também prioriza em seu mandato as questões urbanas, como habitação popular e saneamento. Na Câmara dos Deputados, presidiu a Comissão de Desenvolvimento Urbano e liderou o PCdoB. No Senado, já atuou como vice-presidente da Subcomissão Temporária de Combate ao Trabalho Escravo, relator da Comissão Parlamentar de Inquérito das ONGs e vice-líder do bloco de Apoio ao Governo. Também exerceu o cargo de 3º vice-presidente da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização.

PSol - Marinor Brito (PA)
Senadora, 1º mandato, professora. Marinor estréia no Senado com a experiência de dirigente sindical na área de educação e de ter exercido três mandatos de vereadora do município de Belém. Na vereança, as prioridades de Marinor sempre foram a defesa de melhorias urbanas para áreas periféricas de Belém, de incentivos à produção artística e cultural em suas várias modalidades, e dos direitos humanos, em especial os das crianças e adolescentes. Ela presidiu a CPI de Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes da Câmara Municipal de Belém e colaborou com os recentes debates da CPI(s) da pedofilia, da Assembléia Legislativa do Pará e do Senado. Ao assumir a Liderança do PSol no Senado, pretende atuar com foco na igualdade social e inclusão do povo da Amazônia e também no combate à corrupção.

PMN - Sérgio Petecão (AC)
Senador, 1º mandato, empresário. A trajetória de Petecão na política está diretamente relacionada à história do PMN no Acre. Ele é um dos fundadores do partido no estado. O primeiro mandato de Petecão foi conquistado em 1994, quando ele se elegeu deputado estadual. Em 1998, se reelegeu deputado estadual, assumindo a presidência da Assembléia Legislativa. O parlamentar ainda exerceu mais um mandato na Assembléia, antes de partir para eleição de deputado federal em 2006. Na Câmara, já estreou com a responsabilidade de liderar o partido, foi ,1º vice-presidente da Comissão da Amazônia e integrou a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e a CPI da Energia Elétrica. Eleito senador na eleição de 2010, é o único representante do partido na Casa.

PPS - Itamar Franco (MG)
Senador, 3º mandato, engenheiro civil. Um dos políticos mais experientes do País, já exerceu vários cargos, inclusive o de senador da República. O ingresso na vida pública ocorreu com a eleição para a Prefeitura de Juiz de Fora. Depois de dois mandatos no município, Itamar foi eleito a primeira vez para o Senado Federal e reeleito na legislatura subseqüente. Naquele período, foi um ativo defensor da campanha das Diretas já! Concorreu à vice-presidência na chapa de Fernando Collor, assumindo a Presidência da República com o impeachment do titular em 1992. Foi na gestão de Itamar Franco que o Plano Real entrou em vigor no Brasil, anunciado pelo então ministro da Fazenda Fernando Henrique Cardoso. Depois que deixou a Presidência, foi embaixador brasileiro em Portugal, embaixador brasileiro junto à Organização dos Estados Americanos (OEA) em Washington, Estados Unidos, e, mais recentemente, embaixador brasileiro na Itália. O político também governou Minas Gerais entre os anos de 1999 a 2003 e foi conselheiro do Banco de Desenvolvimento do Estado. Retorna ao Senado para o exercício do terceiro mandato como líder da bancada do PPS, partido a que se filiou em 2009.

PRB - Marcelo Crivella (RJ)
Senador, 2º mandato, engenheiro, escritor e cantor gospel. Sobrinho do líder religioso Edir Macedo, Crivella é bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd). Durante o primeiro mandato no Senado, disputou três eleições, mas não logrou êxito: ao governo do estado do Rio em 2006 e à Prefeitura da capital em 2004 e 2008. Na atuação como senador, acumula funções como vice-presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, vice-presidente da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática e vice-presidente da Subcomissão Permanente do Trabalho e Previdência. Também já exerceu o cargo de vice-líder do bloco de apoio ao Governo na Casa.

PSC - Eduardo Amorim (SE)
Senador, 1º mandato, médico e advogado. Único representante do PSC no Senado, é o presidente do partido no Estado de Sergipe. Ingressou na vida pública como secretário de estado da Saúde. Depois de dois anos no cargo e com grande aceitação popular, seu primeiro mandato eletivo foi conquistado em 2006, quando se elegeu deputado federal. Na Câmara, foi presidente da Comissão de Legislação Participativa e primeiro vice-presidente da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado. No Senado, pretende priorizar o aperfeiçoamento da saúde pública, além de temas como as reformas política e tributária.

PV - Paulo Davim (RN)
Senador, 1º mandato, médico. Com vocação para a vida pública, militou no movimento estudantil. Também participou do movimento sindical com atuação no Sindicato dos Médicos, na Associação Médica do Estado e também na Associação Brasileira. Fundou e presidiu a Sociedade Norte-rio-grandense de Terapia Intensiva. Ingressou na política como deputado estadual, tendo exercido dois mandatos na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Norte. Suplente de Garibaldi Alves Filho, assumiu o mandato com o afastamento do titular empossado ministro da Previdência Social.

Nós apoiamos

Nossos parceiros